Conselho Superior presta homenagem a reitor

Gratidão, legado, inovação, visionário, inserção social, aprendizado, maturidade, representatividade e conhecimento. Estão foram as principais palavras utilizadas pelos membros do Conselho Superior (CS) do Instituto Federal de Brasília (IFB), na 56ª Reunião Ordinária, realizada terça-feira (20), que marcou a despedida do reitor Wilson Conciani da presidência do colegiado.

Conciani estava à frente do CS desde a 5ª reunião, realizada no dia 22 de fevereiro de 2011. De lá para cá foram 70 encontros, computando reuniões ordinárias e extraordinárias. O Conselho Superior, órgão máximo da instituição, é composto por integrantes da comunidade acadêmica e da sociedade civil organizada. Tem natureza consultiva e deliberativa.

O representante dos Egressos no CS, Jesus de Nazareno Rodrigues, destacou o jeito igualitário com que Conciani sempre tratou estudantes e servidores. “Você costuma dizer que o IFB transforma vidas, mas eu posso dizer que é o senhor, como professor e como gestor que transforma as pessoas”, contou, emocionado, o ex-estudante do campus Samambaia. Em nome do CS, Jesus entregou uma placa de agradecimento aos trabalhos prestados por Conciani.

Também com lágrimas nos olhos, o diretor-geral do campus Planaltina, Nilton Cometti, lembrou da época de criação do IFB. Destacou o papel do colega e amigo Conciani na implantação da instituição. “Em apenas dois anos você abriu 10 campi no DF”, afirmou Cometti.

Conciani agradeceu o “papel fundamental” do Conselho Superior nesta primeira década de história do IFB. Disse que deixa a gestão orgulhoso por ter colocado um “sonho em andamento, o sonho de construir uma instituição diferente, inovadora e transformadora”. Citou como legado a “construção coletiva de um espaço democrático, de diálogo e respeito ao contraditório”.

IFB e Administração do Plano Piloto vão trabalhar pela sustentabilidade do DF

Para fomentar o resgate da memória de Brasília e colaborar com as ações de sustentabilidade da capital nacional, o reitor do Instituto Federal de Brasília (IFB), Wilson Conciani, teve audiência, na quinta-feira (4), com a administradora do Plano Piloto, Ilka Teodoro (última à direita na foto)

Segundo Conciani, o IFB, por meio de seus professores e alunos, pode colaborar na implementação dos projetos da Administração Regional para mostrar Brasília não só como uma cidade moderna, mas também como uma cidade histórica.  Ilka acredita que o apoio do IFB é fundamental para realização dos projetos no Plano Piloto, principalmente as ações para transformar o Plano em uma região mais sustentável.

Conciani aproveitou a visita para pedir apoio da Administração para o ConectaIF 2019,  que vai ocorrer de 26 a 30 de agosto. Ilka disse que a equipe está à disposição para colaborar com o evento e fará a seleção de projetos da comunidade na área de sustentabilidade para serem apresentados no ConectaIF.

Também foram debatidos na reunião projetos para incentivar a inclusão das feiras agroecológicas no mapa turístico de Brasília.

*Informações da Administração do Plano Piloto

Gestão e parlamentares debatem contingenciamento com MEC

A gestão do Instituto Federal de Brasília (IFB) e a bancada federal do Distrito Federal participaram, nessa quinta-feira (4), de audiência com o ministro da Educação, Abraham Weintraub, para tratar do contingenciamento do orçamento do IFB. Por ora, MEC deve liberar recursos do custeio, mês a mês.

O reitor Conciani, em nome da comunidade acadêmica do instituto, agradeceu o empenho e o comprometimento dos senadores Izalci Lucas (coordenador da bancada), Leila Barros e Reguffe, e dos deputados federais Erika Kokay (proponente da reunião), Flávia Arruda e Professor Israel, os dois últimos por enviarem representação ao encontro.

Os deputados Julio Cesar Ribeiro e Paula Belmonte justificaram ausência por compromissos previamente assumidos, mas se colocaram à disposição do IFB para futuras agendas.

IFB será parceiro da Emater para formação empreendedora de jovens do campo

O Instituto Federal de Brasília (IFB) apoiará o programa de “Juventude e Sucessão Rural – Filhos deste solo”, da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Distrito Federal (Emater-DF). A iniciativa tem por objetivo proporcionar condições para os jovens viverem e se desenvolverem no espaço rural.

A primeira ação, prevista para agosto, é o curso Jovem Empreendedor Rural, onde os participantes terão a oportunidade de transformar seus sonhos e ideias em planos de negócios. O curso, com duração de 40h, é dirigido para o público de 18 a 29 anos que tenha algum vínculo com propriedades rurais (moradia, trabalho, relação familiar etc). “Não vamos limitar os sonhos de ninguém. Quem sabe daí surge um grande negócio”, explicou o coordenador do programa, Roberto Bemfica Rubin.

Além da parte teórica sobre empreendedorismo e gestão, também está previsto um período de incubação. Neste tempo, os estudantes receberão uma bolsa financeira para auxiliar a Emater no diagnóstico sobre a realidade do jovem rural no DF.

A segunda ação do programa, prevista para abril do próximo ano, é a realização de um concurso que reconhecerá os dez melhores planos de negócios. Serão distribuídos R$ 500 mil aos vencedores para transformarem os projetos em realidade. A última grande ação é a Feira de Negócios, que pretende reunir os jovens empreendedores com empresários dispostos a investir em novos negócios. A primeira edição feira será realizada na AgroBrasília de 2021.

O reitor do IFB, Wilson Conciani, elogiou a iniciativa e disse que a instituição “está de portas abertas para apoiar o programa, tanto com a formulação dos conteúdos do curso, quanto com a participação dos seus estudantes, especialmente do campus Planaltina”.

Histórico – A Emater, empresa vinculada ao Governo do Distrito Federal (GDF), foi criada em 1977 com o objetivo de promover o desenvolvimento rural sustentável e a segurança alimentar, prestando assistência técnica, formação e orientação aos agricultores e suas famílias. A empresa realiza cerca de 120 mil atendimentos por ano, por meio de oficinas, cursos, dias de campo, reuniões etc.

Diretor de Ensino do campus Planaltina, Vinícius dos Santos, Rubin, Conciani, Sérgio Orsi (Emater) e a pró-reitora de Extensão do IFB, Cristiane Salgado

IFB e Reino Unido iniciam conversa sobre defesa cibernética

Capacitar docentes e qualificar estudantes em defesa cibernética. Este foi o tema da audiência desta segunda-feira (27) entre o reitor do Instituto Federal de Brasília (IFB), Wilson Conciani, e o conselheiro de Segurança da Embaixada do Reino Unido no Brasil, Ricardo Vilella.

Assessora de Relações Internacionais do IFB, Edna Carvalho de Azevedo, Conciani e Vilella

O Brasil é um dos cinco países prioritários da Estratégia Nacional de Segurança Cibernética (2016 – 2021) do governo britânico. A parceria iniciou com as nossas Forças Armadas e o objetivo agora é expandir para a rede federal de educação profissional e tecnológica a partir do IFB. “É fundamental que trabalhemos em estreita colaboração com parceiros internacionais para assegurar a continuidade de um espaço cibernético livre, aberto, pacífico e seguro, e que continue a proporcionar esses benefícios”, afirma um trecho do documento norteador da estratégia. O programa conta com orçamento de R$ 7,2 bilhões.

As partes acertaram a realização de uma nova reunião, desta vez com a participação dos campi que ofertam cursos na área de Tecnologias da Informação e Comunicação (TICs).

Educação inclusiva é foco de acordo de cooperação

Para ampliar ações inclusivas e contribuir para desmistificar a temática saúde mental no âmbito escolar e na sociedade foi firmado nesta segunda-feira (29) acordo de cooperação do Instituto Federal de Brasília (IFB) com a Associação Movimento para a Inclusão (MOVIN). O termo prevê à oferta de estágio curricular e extracurricular para estudantes, o desenvolvimento de trabalhos conjuntos, consultorias, visitas técnicas, palestras, mesas-redondas, entre outras iniciativas.

Uma das ações se dará no ConectaIF, evento que ocorre de 26 a 31 agosto, com a participação da entidade no VIII Fórum de Educação Profissional e Tecnológica Inclusiva. O Fórum tem como um dos objetivos a integração entre pesquisadores, discentes e profissionais visando melhoria no atendimento educacional das pessoas que apresentam algum tipo de deficiência ou transtorno.

“Nosso trabalho multidisciplinar é de formiguinha junto aos estudantes, suas famílias e os trabalhadores em educação. É preciso superarmos a barreira atitudinal, buscando inclusão, mas também aceitação deste público”, destacou Vânia Brandão, presidente do MOVIN.

O reitor do IFB, Wilson Conciani, afirmou que a parceria é mais um passo inclusivo da instituição. “Queremos contar com o apoio de entidades como o MOVIN para o desenvolvimento de pesquisas e tecnologias assistivas que beneficiem não só os estudantes, mas também a sociedade”, disse.

Reitor Conciani e direção do MOVIN durante assinatura do acordo de cooperação

Rede federal abre relação para intercâmbios na Bolívia

Com o objetivo de viabilizar intercâmbio da rede federal com a Bolívia, o reitor do IFB, Wilson Conciani, reuniu-se com o embaixador boliviano no Brasil, José Kinn Franco, nesta quarta-feira, 20, na sede da Embaixada, em Brasília.

“As ações podem ser executadas tanto nos municípios fronteiriços quanto no interior da Bolívia. O mais importante é que permita aos docentes e discentes uma vivência ampla nos aspectos de ensino e cultura dos países envolvidos. O intercâmbio certamente ajudará na integração dos dois países”, afirmou Conciani, que representou o Conselho Nacional das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica (Conif).

O embaixador  Franco explicou que o governo boliviano enxerga a educação profissional como estratégica para o crescimento econômico do país. “Acredito que o Ministério da Educação e instituições que atuam no campo da parceria público-privada são potenciais parceiros da Rede Federal – que conheci hoje. Temos demandas no ramo da agropecuária, nas áreas de petróleo e gás e também no que se refere ao turismo”, declarou.

Também participaram da reunião os assessores de Relações Internacionais do Conif, Ana Carolina Oliveira Batista e João Paulo Rotelli, que darão encaminhamento técnico aos diálogos estabelecidos na reunião, como apresentação de propostas de acordos e possíveis visitas dos representantes dos respectivos países.

*Com informações do Conif

Acordo de cooperação prevê estágio e desenvolvimento de projetos na área de tecnologia

O Instituto Federal de Brasília (IFB) firmou nesta quinta-feira (17) acordo de cooperação com a Spezi Tecnologia. O termo visa à oferta de estágio para estudantes do IFB, o apoio no desenvolvimento de novos produtos na área de tecnologia da informação e comunicação, palestras e visitas técnicas, dentre outras ações. A empresa planeja participar do Conecta 2019 com um desafio de projetos que alie tecnologia e inteligência, selecionando os destaques para estágio.

Fernanda Plentz, pró-reitora substituta de Extensão, reitor Conciani e Elon Souza (Spezi)

Atualmente, cinco ex-estudantes do IFB trabalham na Spezi. “Impressiona a capacidade dos egressos. Temos parcerias com várias instituições de ensino, mas no IFB sinto uma energia transformadora”, elogiou Elon Carlos Souza, executivo de Contas da empresa. “O IFB existe também para formar e inserir no mercado os melhores profissionais. Esta interação com o mundo do trabalho é fundamental para o nosso aperfeiçoamento”, afirmou o reitor Wilson Conciani.

A Spezi atua há 15 anos no mercado, inclusive com órgãos públicos, com expertise no desenvolvimento de software, soluções tecnológicas e inteligência artificial.

Projeto visa resgatar história e memória de Brasília

O Instituto Federal de Brasília (IFB), a Fundação Brasil Meu Amor e a Casa da Memória Saberes e Sabores estão desenvolvendo projeto envolvendo ensino, pesquisa e extensão para resgatar a história e a memória da construção de Brasília. São ações que contemplarão os mais variados eixos tecnológicos ofertados pelo IFB, tais como turismo, hospitalidade e lazer; informação e comunicação; ciências humanas, educação e informática etc.

Na área da Gastronomia, por exemplo, está previsto o levantamento das tradições alimentares da região, cadastro de estabelecimentos que ofertam pratos típicos, publicação de caderno de receitas e organização de feira gastronômica. Na Gestão Documental e Acervo Iconográfico, o objetivo é cadastrar, classificar, higienizar e digitalizar documentos históricos, além de realizar registro audiovisual de locais de interesse histórico e cultural. Pelo projeto, estudantes dos cursos técnicos e tecnológicos e licenciaturas, sob monitoria de professores, desenvolverão estas atividades por meio de estágio.

“A iniciativa beneficia diretamente a comunidade acadêmica, com a imersão dos nossos estudantes em ações práticas supervisionadas por docentes, mas acima de tudo será um legado ao Brasil que terá à disposição esta linda história, às vezes deixada de lado, de brasileiros que construíram fisicamente  a capital federal e a moldaram com seus hábitos e costumes”, destacou o reitor Wilson Conciani, que acompanhou os representantes das entidades parceiras em visitas a espaços históricos do DF, como o Catetinho — primeira residência oficial do presidente do Brasil, Juscelino Kubitschek, em 1956.

IFB e GDF estudam novo acordo para capacitar trabalhadores

O Instituto Federal de Brasília (IFB) e a Secretaria do Trabalho do Governo do Distrito Federal devem renovar acordo de cooperação com vistas à formação e capacitação profissional de trabalhadores e o desenvolvimento de ações de apoio ao microempreendedor. O tema, tratado em reunião nesta quinta-feira (10), na Reitoria do IFB, contou com a participação do reitor, Wilson Conciani, do subsecretário de Atendimento ao Trabalhador e ao Empregador do GDF, Vicente Goulart, do diretor jurídico da Federação das Associações das Micro e Pequenas Empresas do Distrito Federal e Entorno (Famicro), George Maranhão, e da pró-reitora substituta de Extensão do IFB, Fernanda Plentz.

Goulart (foto de terno azul) informou que a nova gestão realizará levantamento das demandas do setor produtivo para detalhar os cursos que melhor atendam os trabalhadores. A pasta tem como principal responsabilidade coordenar ações para o trabalhador e o empregador por meio de 17 Agências de Atendimento. Também gerencia o seguro desemprego, a intermediação de vagas de trabalho e os programas qualificação profissional.

Conciani afirmou que “o IFB está aberto e à disposição para apoiar o micro empreendedorismo nas suas mais variadas áreas, formar profissionais e auxiliar o setor produtivo local”.

Histórico – Em 2012, IFB e Secretaria do Trabalho do DF firmaram acordo que visava a oferta de cursos técnicos na modalidade a distância. Foram oferecidos cursos de Administração, Logística, Meio Ambiente, Segurança do Trabalho, entre outros.