Rede federal abre relação para intercâmbios na Bolívia

Com o objetivo de viabilizar intercâmbio da rede federal com a Bolívia, o reitor do IFB, Wilson Conciani, reuniu-se com o embaixador boliviano no Brasil, José Kinn Franco, nesta quarta-feira, 20, na sede da Embaixada, em Brasília.

“As ações podem ser executadas tanto nos municípios fronteiriços quanto no interior da Bolívia. O mais importante é que permita aos docentes e discentes uma vivência ampla nos aspectos de ensino e cultura dos países envolvidos. O intercâmbio certamente ajudará na integração dos dois países”, afirmou Conciani, que representou o Conselho Nacional das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica (Conif).

O embaixador  Franco explicou que o governo boliviano enxerga a educação profissional como estratégica para o crescimento econômico do país. “Acredito que o Ministério da Educação e instituições que atuam no campo da parceria público-privada são potenciais parceiros da Rede Federal – que conheci hoje. Temos demandas no ramo da agropecuária, nas áreas de petróleo e gás e também no que se refere ao turismo”, declarou.

Também participaram da reunião os assessores de Relações Internacionais do Conif, Ana Carolina Oliveira Batista e João Paulo Rotelli, que darão encaminhamento técnico aos diálogos estabelecidos na reunião, como apresentação de propostas de acordos e possíveis visitas dos representantes dos respectivos países.

*Com informações do Conif

Acordo de cooperação prevê estágio e desenvolvimento de projetos na área de tecnologia

O Instituto Federal de Brasília (IFB) firmou nesta quinta-feira (17) acordo de cooperação com a Spezi Tecnologia. O termo visa à oferta de estágio para estudantes do IFB, o apoio no desenvolvimento de novos produtos na área de tecnologia da informação e comunicação, palestras e visitas técnicas, dentre outras ações. A empresa planeja participar do Conecta 2019 com um desafio de projetos que alie tecnologia e inteligência, selecionando os destaques para estágio.

Fernanda Plentz, pró-reitora substituta de Extensão, reitor Conciani e Elon Souza (Spezi)

Atualmente, cinco ex-estudantes do IFB trabalham na Spezi. “Impressiona a capacidade dos egressos. Temos parcerias com várias instituições de ensino, mas no IFB sinto uma energia transformadora”, elogiou Elon Carlos Souza, executivo de Contas da empresa. “O IFB existe também para formar e inserir no mercado os melhores profissionais. Esta interação com o mundo do trabalho é fundamental para o nosso aperfeiçoamento”, afirmou o reitor Wilson Conciani.

A Spezi atua há 15 anos no mercado, inclusive com órgãos públicos, com expertise no desenvolvimento de software, soluções tecnológicas e inteligência artificial.

Projeto visa resgatar história e memória de Brasília

O Instituto Federal de Brasília (IFB), a Fundação Brasil Meu Amor e a Casa da Memória Saberes e Sabores estão desenvolvendo projeto envolvendo ensino, pesquisa e extensão para resgatar a história e a memória da construção de Brasília. São ações que contemplarão os mais variados eixos tecnológicos ofertados pelo IFB, tais como turismo, hospitalidade e lazer; informação e comunicação; ciências humanas, educação e informática etc.

Na área da Gastronomia, por exemplo, está previsto o levantamento das tradições alimentares da região, cadastro de estabelecimentos que ofertam pratos típicos, publicação de caderno de receitas e organização de feira gastronômica. Na Gestão Documental e Acervo Iconográfico, o objetivo é cadastrar, classificar, higienizar e digitalizar documentos históricos, além de realizar registro audiovisual de locais de interesse histórico e cultural. Pelo projeto, estudantes dos cursos técnicos e tecnológicos e licenciaturas, sob monitoria de professores, desenvolverão estas atividades por meio de estágio.

“A iniciativa beneficia diretamente a comunidade acadêmica, com a imersão dos nossos estudantes em ações práticas supervisionadas por docentes, mas acima de tudo será um legado ao Brasil que terá à disposição esta linda história, às vezes deixada de lado, de brasileiros que construíram fisicamente  a capital federal e a moldaram com seus hábitos e costumes”, destacou o reitor Wilson Conciani, que acompanhou os representantes das entidades parceiras em visitas a espaços históricos do DF, como o Catetinho — primeira residência oficial do presidente do Brasil, Juscelino Kubitschek, em 1956.

IFB e GDF estudam novo acordo para capacitar trabalhadores

O Instituto Federal de Brasília (IFB) e a Secretaria do Trabalho do Governo do Distrito Federal devem renovar acordo de cooperação com vistas à formação e capacitação profissional de trabalhadores e o desenvolvimento de ações de apoio ao microempreendedor. O tema, tratado em reunião nesta quinta-feira (10), na Reitoria do IFB, contou com a participação do reitor, Wilson Conciani, do subsecretário de Atendimento ao Trabalhador e ao Empregador do GDF, Vicente Goulart, do diretor jurídico da Federação das Associações das Micro e Pequenas Empresas do Distrito Federal e Entorno (Famicro), George Maranhão, e da pró-reitora substituta de Extensão do IFB, Fernanda Plentz.

Goulart (foto de terno azul) informou que a nova gestão realizará levantamento das demandas do setor produtivo para detalhar os cursos que melhor atendam os trabalhadores. A pasta tem como principal responsabilidade coordenar ações para o trabalhador e o empregador por meio de 17 Agências de Atendimento. Também gerencia o seguro desemprego, a intermediação de vagas de trabalho e os programas qualificação profissional.

Conciani afirmou que “o IFB está aberto e à disposição para apoiar o micro empreendedorismo nas suas mais variadas áreas, formar profissionais e auxiliar o setor produtivo local”.

Histórico – Em 2012, IFB e Secretaria do Trabalho do DF firmaram acordo que visava a oferta de cursos técnicos na modalidade a distância. Foram oferecidos cursos de Administração, Logística, Meio Ambiente, Segurança do Trabalho, entre outros.

IFB vai capacitar trabalhadoras rurais ligadas à Contag

Mulheres trabalhadoras do campo e da floresta, ligadas à Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag), participarão de cursos e oficinas de qualificação profissional ofertados pelo Instituto Federal de Brasília (IFB) durante o Conecta IF e a Marcha das Margaridas, eventos que ocorrerão em agosto de 2019. Esta foi a pauta da reunião desta terça-feira (11), em Brasília, entre gestores do IFB e da Contag.

As duas instituições possuem acordo de cooperação, o que já permitiu a oferta de cursos de formação inicial e continuada em Cooperativismo, Serviços Públicos, Agroindústria e Espanhol para centenas de agricultores familiares. A direção do IFB convidou a Contag para organizar uma feira de exposição dos produtos da agricultura familiar no Conecta, especialmente aqueles produzidos pelas mulheres e pela juventude.

Histórico – No próximo dia 22, a Contag comemora 55 anos de fundação. Composta por 27 Federações de Trabalhadores na Agricultura (FETAGs) e mais de quatro mil Sindicatos de Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais (STTRs), a entidade atua na defesa dos direitos de 15,7 milhões de trabalhadores rurais. A agricultura familiar é responsável por 30% da produção destinada às escolas, segundo o Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE), e 70% da alimentação brasileira (Censo Agropecuário 2017).

IFB e Fundação Palmares desenham curso de áudio e vídeo para comunidade negra

Representantes da Fundação Palmares com gestores do IFB

Com recursos da Fundação Cultural Palmares, o Instituto Federal de Brasília (IFB) ofertará em 2019, no campus Recanto das Emas, o curso técnico de Produção em Áudio e Vídeo dirigido para a comunidade negra do Distrito Federal. O curso tem carga horária de 800 h e duração de um ano. O objetivo da parceria é qualificar especialmente a juventude negra, historicamente excluída, e potencializar sua inserção no mercado de trabalho.

Pelo acordo, os estudantes selecionados terão dentre as atividades práticas a realização de registros dos terreiros e dos quilombos da região.

Histórico – Em 2017, a parceria com a Fundação Palmares permitiu a capacitação de 60 pessoas em três cursos de Formação Inicial Continuada nas áreas de design e produção de moda (campus Taguatinga), desenvolvimento de jogos analógicos (Estrutural) e processamento de frutas e hortaliças (Gama).

A Fundação Cultural Palmares foi criada pelo Governo Federal em 1988 com o objetivo de promover e preservar a arte e a cultura afro-brasileira. É uma instituição pública vinculada ao Ministério da Cultura.

5º WorkIF debate ensino, pesquisa, extensão e inovação

Com o tema “Uma conexão de descobertas”, o Instituto Federal do Mato Grosso (IFMT) promove, em Cuiabá, o 5º Workshop de Ensino, Pesquisa, Extensão e Inovação (WorkIF). Durante três dias, estudantes, professores, técnicos e a comunidade externa participam de fóruns, palestras científicas, mesas-redondas, além de assistirem apresentações culturais, protótipos de produtos e resultados de pesquisas.

Na abertura oficial (foto), o reitor do IFMT, Willian de Paula, destacou a importância do evento para a partilha de experiências e discussões acadêmicas. “Os IFs em seus 10 anos de existência têm feito diferença na formação e transformado a vida de jovens e adultos em diferentes espaços. Daí a importância de seguirmos juntos. Ou, como dizia Drummond: ‘não nos afastemos, juntos vamos de mãos dadas’, fortes e confiantes de que a Rede federal tem seu papel na história, como um case de sucesso”, frisou Willian.

O reitor do IFB, Wilson Conciani, em nome dos outros IFs da região Centro Oeste, enalteceu o esforço dos anfitriões para promover a integração e o intercâmbio de ideias. “Vivemos um momento de mudança de paradigma de gestão no País, de mudanças sociais e tecnológicas. Precisamos refletir, debater, entender esse novo momento e atuar”, afirmou Conciani.

Quarenta estudantes e cinco servidores do IFB participam do encontro com apresentação de projetos desenvolvidos pelo programa Fábrica de Ideias Inovadoras (FABIN) e de trabalhos premiados na VIII Semana de Produção Científica (SP8). No estande da instituição também estão sendo distribuídas publicações da Editora IFB.  Alunos do curso técnico em Produção de Áudio e Vídeo, campus Recanto das Emas, estão fazendo o registro fotográfico e de vídeo do evento.

*Com informações do IFMT

Memorando de entendimento visa intercâmbio para EUA

Memorando foi assinado pelo reitor substituto do IFB, Adilson Cesar Araújo, e pela diretora de programas da Liaison, Sandra Lima Argo

Visando à cooperação acadêmica, cientifica e cultural por meio da pesquisa, do ensino, da organização e da gestão institucional, o Instituto Federal de Brasília (IFB) e a Liaison America assinaram nesta segunda-feira (26), em Brasília, memorando de entendimento.

De acordo com o termo, o foco dos projetos a serem desenvolvidos são a mobilidade docente e de estudantes, a capacitação de servidores, a elaboração conjunta de projetos de pesquisa e a organização de seminários, entre outros. Além da assinatura do memorando, dois professores da Radford University palestraram sobre cursos e possibilidades de intercâmbio.

Histórico – A Liaison America foi criada em 2013, no Estado da Virgínia (EUA). Com sede em Washington DC, desenvolve programas customizados na área da educação para indivíduos ou grupos em parceria com universidades norte-americanas.

 

IFB e Embaixada planejam ações de apoio ao Sudão

Assessora de Relações Internacionais do IFB, Edna Carvalho de Azevedo, Wilson Conciani e Patricia Lima.

O reitor do IFB, Wilson Conciani,  recebeu nesta segunda-feira (12) a nova embaixadora brasileira na República do Sudão, Patricia Lima.  Conversaram sobre projetos já desenvolvidos pelo IFB no país africano e parcerias para o futuro. Desde 2015, 36 professores sudaneses receberam formação no curso de Agropecuária ofertado pelo IFB junto com outros IFs.

Conciani destacou o compromisso da rede federal de educação profissional e tecnológica em ajudar a reconstruir o Sudão, que passou por longo período de guerra civil, mas tem uma história riquíssima e um povo maravilhoso. “Decidimos, conjuntamente, que o foco inicial será projetos nas áreas de agricultura familiar, empoderamento feminino e juventude”, explicou o reitor.

A embaixadora, que deve assumir o posto no próximo mês, foi presenteada com um livro sobre o Programa Mulheres Mil, experiência desenvolvida na rede federal que já formou e capacitou milhares de mulheres em situação de vulnerabilidade em todo o Brasil.

GT prepara diretrizes para avançar institucionalização da EaD na rede federal

O Grupo de Trabalho (GT) que discute a Institucionalização da Educação a Distância (EaD), vinculado ao Fórum de Dirigentes de Ensino (FDE), prepara documento com diretrizes e orientações com vistas à consolidação da EaD na Rede Federal de Educação Profissional e Tecnológica.

Durante dois dias de encontro presencial (6 e 7/11), no Instituto Federal de Brasília (IFB), o GT atualizou o panorama da EaD. Os dados de 2018 já refletem a expansão da oferta de cursos por esforço próprio e a redução de cursos exclusivamente financiados pelo Governo. O grupo também iniciou discussão sobre legislação, motivado especialmente pela atualização, nos últimos dois anos, das normativas nacionais que regem a EaD.

Um dos objetivos do grupo é avançar nas discussões sobre modelos e metodologias de cursos a distância, tais como os integrados à modalidade presencial (híbridos) e o MOOC (Massive Open Online Course). De acordo com a diretora da EaD no IFB, Rute Bicalho, “temas como os parâmetros institucionais, credenciamento e atendimento dos polos presenciais, assim como esforço e mobilidade docente, perpassam as reflexões”. O GT também pretende dialogar com organizações que já trabalham com EaD no Brasil, como a ABREUM e a UNIREDE.

Documento — O reitor do IFB, Wilson Conciani, destacou a importância de os Institutos Federais institucionalizarem a EaD, independentemente de programas federais pontuais. “Uma maior oferta da Educação a Distância significa mais inclusão, pois permite acesso remoto de qualquer lugar, e menos evasão, devido à flexibilidade no formato dos cursos”, disse. Conciani defendeu ainda que o modelo de EaD para ter sucesso precisa compreender como agem e como pensam as novas gerações, que nasce conectada e prima pela interatividade em suas rotinas.

O GT ainda fará duas reuniões via webconferência para consolidar o primeiro produto, que deverá ser entregue ao CONIF ainda em dezembro.